AZONASUL: Prefeitos discutem Resolução que proíbe parto em pequenas cidades

18/04/2017 Fonte:Jornal Diário da Manhã/Pelotas

Prefeitos da Associação dos Municípios da Zona SUl (Azonasul) mostraram-se preocupados com a tramitação de uma resolução do governo do Estado que visa proibir que hospitais de pequenas e médias cidades possam realizar partos.

A pauta foi discutida durante a realização do projeto de interiorização da Federação das Associações de Municípios do RS (Famurs), em Pelotas, reunindo 19 prefeitos da região.

Ao demonstrar sua posição contrária à proposta, o presidente da Federação, Luciano Pinto, adiantou que resolução do Piratini prevê que as estruturas que realizam menos de 365 partos por ano terão que deixar de prestar o serviço, o qual será absorvido por grandes hospitais da região.

Se for aprovada, a medida entrará em vigor imediatamente. A determinação pode afetar mais de 100 municípios gaúchos que possuem pronto-atendimentos e hospitais de pequeno e médio porte que realizam esse serviço. Conforme o presidente da Azonasul, Favio Telis, prefeito de Jaguarão, ainda não se sabe o impacto entre os 23 municípios mas a medida poderá acarretar prejuízos econômicos e sociais afetando pacientes e prefeituras.  Telis teme as consequências negativas do projeto, como risco para gestantes durante o transporte, o aumento da ambulancioterapia (transporte de pacientes para municípios maiores), a elevação dos gastos das prefeituras com diárias e prejuízo na relação entre paciente e médico. "Ainda é necessário que se discuta como será feita essa regionalizaç&atil de;o dos partos. Por outro lado, não se pode obrigar àquelas localidades que não contem com estruturas adequadas a arcarem com o procedimento", disse. O tema será discutido, no dia 17 de abril, em encontro estadual de prefeitos, em Porto Alegre.

 

Galeria da Notícia